Os principais fios utilizados para tricotar

A escolha do tipo de fio a ser usado numa peça influencia diretamente o resultado do trabalho tricotado. E a verdade é que, até mesmo para pessoas já iniciadas na arte de tricotar, a escolha dos fios pode ser uma tarefa complicada. Pensar o projeto de tricô antes de o executar é de grande importância para garantir o sucesso da confeção da peça, começando pela escolha do fio perfeito.

Que tipo de peça vai tricotar?

Uma peça mais rígida requer um fio mais grosso, que pode ser sintético, composto ou de fibras naturais, com combinações que garantam a firmeza necessária no ponto. Peças para crianças, tendo em conta eventuais alergias, geralmente são tricotadas em fios de algodão ou sintéticos. Para uma maior gama de cores, pode optar por fios sintéticos. Quanto mais macia a peça tiver que ser, mais fino o fio e maior a quantidade, porque serão precisos muitos pontos para atingir o resultado necessário. Dê preferência a moldes que indicam o material a ser utilizado, tanto no que se refere ao tipo de fio, quanto à quantidade a ser utilizada.

Qualidade sempre!

Na hora de tricotar, procure sempre materiais de boa qualidade, de marcas de referência. As marcas de renome nem sempre são sinónimo de material caro e têm sempre a vantagem de apresentar toda a informação referente ao fio em questão nas suas embalagens. Pesquise, informe-se e compare os fios dos diferentes fabricantes existentes no mercado.

Experimentar não custa nada…

Quando em dúvida, faça uma experiência prévia: compre poucas unidades do fio e faça um primeiro teste. Se não conseguir os resultados pretendidos, pelo menos evitou o desperdício de material e dinheiro, podendo agora colocar de parte determinada marca e passar para outra.

Não desperdice!

Por outro lado, não desperdice os fios de tricô que sobraram de um determinado trabalho – a verdade é que podem ser úteis no futuro. Não é porque um determinado fio não funcionou bem num cachecol, por exemplo, que não servirá para um tapete. Lá está, é uma questão de ir testando e conhecendo os fios de tricotar.

Conheça os tipos de fios existentes e as suas características

É importante que pesquise e que se familiarize bem com os diversos tipos de fios existentes para tricô. Na linguagem popular, todos os fios são tratados como lã, mas na verdade nem todos são feitos de lã. Os tipos de fios mais comuns na arte de tricotar incluem:

Fios de lã comum

Os fios são provenientes do carneiro e da ovelha e a lã de eleição para o tricô, devido à sua maciez, é aquela proveniente da raça merino. Os carneiros e ovelhas podem ser tosquiados vivos (o que torna o material mais caro) ou a lã pode ser removida do couro após o abate dos animais. Os fios de lã penteada são mais caros porque o tamanho das fibras é selecionado antes da torção. Os fios de lã simplesmente cardada (nome para o "torcido" que compõe o fio) são mais baratos devido à ausência de seleção do tamanho das fibras. Para que a lã seja considerada pura, deve conter pelo menos 95% de lã proveniente de carneiro ou ovelha. É muito comum a mistura de materiais para alterar as características dos fios ou baratear o custo do material. A “lã composta” (mais comum e barata) geralmente possui um mínimo de 70% de lã de carneiro ou ovelha. A chamada "lã misturada" é um composto de lã pura com outras fibras, naturais ou sintéticas, sendo que a concentração mínima de lã de carneiro ou ovelha deve ser de 50%. Os fios de lã comum são utilizados para a generalidade dos trabalhos tricotados, dependendo da rigidez ou maciez esperados.

Fios de lã nobre

Este tipo de fio para tricô é proveniente de animais que não o carneiro e a ovelha. Geralmente são nomeados de acordo com o animal de que são extraídos, podendo surgir em misturas com fios sintéticos, de lã comum, seda, dependendo da textura que se pretende. Normalmente mais caros que os fios de lã comum, os fios de lã nobre mais utilizados para tricô são:

Alpaca: Animais semelhantes a lamas, possuem uma lã com ótimas características para peças que vão ser utilizadas para combater o frio, uma vez que são bons isolantes térmicos. É extremamente difícil encontrar um fio de pura lã de alpaca e, devido ao seu valor elevado, é muitas vezes combinado com outras fibras, caso do merino e poliamida.

Mohair: Uma variedade específica de ovelha, cujos fios mais valiosos são os dos machos jovens (kid mohair), devido à sua suavidade. Não são recomendadas para cachecóis, porque podem incomodar uma vez em contacto direto com a pele (o que motiva a mistura com fibras mais delicadas), mas dão ótimos casacos. Geralmente, os fios de mohair são encontrados em composições com poliamida,  merino, viscose e poliamida.

Angorá: Proveniente de coelhos da raça angorá, estes fios são leves e macios, mas pouco resistentes, sendo por isso mesmo combinados com fios mais robustos, como o merino e o algodão. Estes fios são perfeitos para tricotar cachecóis e peças que entram em contacto com a pele, uma vez que o seu toque é ultra suave.

Caxemira: Proveniente dos pelos da barriga das cabras de raça com o mesmo nome da lã, são fios caros devido ao baixo aproveitamento da fibra extraída (apenas 20% pode ser tecido). Um fio nobre e de preço elevado, a caxemira é habitualmente usada no tricô de peças luxuosas.

Fios sintéticos

Mais comuns e baratos, os fios sintéticos podem variar nas composições (poliamida, poliéster, algodão e acrílico), mas basicamente são polímeros com maior ou menor grau de elasticidade. As suas principais vantagens prendem-se com a alargada gama de cores, os formatos dos fios disponíveis e o preço acessível. Embora de qualidade inferior, quando comparados com outro tipo de fios de tricotar, são indicados para iniciantes. São utilizados em diversos tipos de trabalhos, uma vez que a sua textura e cor podem ser facilmente controladas na fabricação. 

Fios de seda

Material delicado e caro, estes fios são produzidos pelo bicho-da-seda e no tricô são geralmente combinados com outras fibras. Considerada a rainha dos fios, a seda produz tecidos leves, suaves e luxuosos.

Fios de algodão

Provenientes do algodoeiro, são as fibras naturais mais sustentáveis (por não envolver animais) e versáteis (pelas diversas espessuras e tingimentos possíveis). Possuem um preço acessível, mas não são indicados aos iniciantes porque as falhas no tricô surgem muito facilmente. Os fios de algodão causam menor alergia, sendo indicados para trabalhos leves, para épocas de calor ou ainda roupas para crianças. Podem ou não ser combinados com outros materiais sintéticos ou naturais, dependendo do resultado final pretendido.

Considerando a evolução tecnológica e as constantes inovações presentes na arte de tricotar (que inclui sempre a criatividade), não se pode afirmar que a lista acima é um rol exaustivo. Existem muitos tipos de fibras e fios que podem ser tricotados, tudo depende do trabalho a ser realizado, das possibilidades do mercado e, claro, da imaginação do artista! Assim, pesquise, inove, experimente coisas diferentes, materiais pouco usuais e siga a sua inspiração rumo a um trabalho tricotado único.

Comentários

Inicie sessão ou registe-se para publicar comentários
Submetido por LAÍZA em
O site é bom, precisa de atualizações, será que teria como eu entrar em contato com o(a) dono (a)?
Submetido por Apoio Tricotar.com em
Olá Laíza, Pode enviar para email@tricotar.com :)
Submetido por mariamag em
gostaria de saber se exite revistas ou apostila com modelos e receitas para serem usados na tricotar? tenho uma antiga e não sei usar. grata pela informação

Votação

Com que frequência faz tricô?

Newsletter

Mantenha-se informado sobre as nossas novidades.